Giro de Notícias: Verba emergencial destinada para quem faz a cultura de Barão de Grajaú não foi usada e retorna ao governo federal

Tempo de pandemia, momentos de dificuldades e escassez em que vivem a população mundial e na nossa cidade não é diferente, onde todas as pessoas acabaram sendo afetadas de alguma forma. Foram comércios que fecharam, cidades que ficaram desertas e envolto disso está incluída a classe artística que ficou impedida de fazer seus shows devido a pandemia.

Diante disso, o governo federal através da Lei Aldir Blanc, lei federal criada com o objetivo de ajudar os produtores culturas, destinou recursos visando atender e suprir um pouco da necessidade das pessoas que fazem a cultura, onde foram enviados recursos para todas as cidades brasileiras.

E para Barão de Grajaú foi enviado parte desses recursos que ficou a cargo da secretaria de cultura fazer a distribuição entre as pessoas da cidade. No entanto, uma denúncia feita pela página “Os 40tões” revela que a verba federal disponibilizada e creditada na conta do município no dia 05 de outubro de 2020, no valor de R$ 151.850,70 (cento e cinquenta e um mil, oitocentos e cinquenta reais e setenta centavos) que deveria ter sido distribuída para grupos de danças, músicos, atores, artistas, pessoas ligadas à cultura de modo em geral, acabou retornando aos cofres federais em decorrência do município não ter cumprido as exigências dentro do prazo exigido de 60 dias.

Dentro das exigências da lei estariam a realização do cadastro das pessoas e a elaboração do plano de ação para distribuição.

Ainda de acordo com a denúncia, foram realizadas reuniões com o o intuito de organizar o processo, no entanto não passou disso.

No período em que houve o repasse da verba, quem estava como secretário da pasta era o Sr. Kennedy Resende, irmão do ex prefeito Gleydson Resende.

Via Os 40tões

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PREVISÃO DO TEMPO
Publicidade

Arquivos do Blog