No DF- Os incêndios florestais no Distrito Federal atingiram 9.860 hectares de julho a agosto deste ano, segundo dados do Corpo de Bombeiros.

A área é superior à região de Taguatinga, que mede 8.056 hectares.

Apenas nos primeiros cinco dias de setembro, as queimadas já destruíram 1, 7 mil hectares – 17,2% do total – sendo 536 hectares no Parque Nacional de Brasília. Neste período, Brasília registrou recordes de baixa umidade e de altas temperaturas

O mês de setembro é, historicamente, o que registra o maior número de incêndios florestais, conforme monitoramento dos bombeiros. No ano passado, ele fechou com 9.002 hectares queimados, o maior número em nove anos.

Desde o início de 2021, as queimadas já atingiram uma área de 11.155 hectares. Ao todo, os bombeiros atenderam 3.294 ocorrências, 73% delas no período de estiagem, ou seja, 2.426 atendimentos.

Desde o início de setembro, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emite alerta laranja no DF, que indica o grau de severidade “perigo”, quando a umidade varia de 12% a 20% – o ideal, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), é de 60%.

No feriado de 7 de setembro, a capital registrou a umidade mais baixa do ano, de 11%, e o Inmet emitiu alerta vermelho. O recorde ocorreu após o dia mais quente do ano, segunda-feira (6), quando os termômetros marcaram 35,9°C.

No mesmo dia em que Brasília registrou a temperatura máxima, o DF teve também a maior área atingida por incêndio florestal neste mês, 874,73 hectares, de acordo com os bombeiros. A meteorologista Andrea Ramos, do Inmet, explica a influência da estiagem nas queimadas.

Baixa umidade

Veja a umidade e a temperatura registrada nos últimos dias no DF:

Sábado (4): 32,9°C e 13% de umidade
Domingo (5): 34,5°C e 13% de umidade
Segunda-feira (6): 35,9°C e 13% de umidade
Terça-feira (7): 35,4ºC e 11% de umidade
Quarta-feira (8): 33,6ºC e 18% de umidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Arquivos do Blog