Homem que fez família refém sobre triplo homicídio: tava junto, mais não foi só eu” em Ceilândia (DF)

PCDF investiga se assalto desta quinta (10/6) foi praticado por Lázaro Barbosa Sousa, procurado por matar pai e dois filhos na mesma região

A Polícia Civil do DF (PCDF) ainda não confirmou se foi Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos, suspeito de matar Cláudio Vidal de Oliveira, 48 anos, Gustavo Marques Vidal, 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, 15, que fez outra família refém nesta quinta-feira (10/6), na mesma região do Incra 9, em Ceilândia.

Segundo Sílvia Campos de Oliveira, 40, o assaltante falou que teria participado do triplo homicídio na Fazenda Vidal, na madrugada de quarta (9). Ela disse que o homem tem os mesmos traços de Lázaro.

“Ele perguntou se eu estava acompanhando o caso do triplo homicídio. E depois disse: ‘Aquele crime lá eu tava junto, mas não foi só eu’”, contou a mulher ao Metrópoles. Sílvia completou: “Falou que se a gente reagisse, faria o mesmo que fez com a outra família, que ele matou no Incra. Mandou a gente não fugir”.

Em frases desconexas, o suspeito ainda disse que mataria todo mundo caso acontecesse algo com a filha dele. Ele levou dois celulares, biscoito, pão, um casaco e dinheiro. Segundo a testemunha, o homem fritou um ovo para comer durante a madrugada e, antes de deixar a casa, pediu que Sílvia colocasse um prato de comida para ele.

Segundo o capitão Rafael Cunha, da Polícia Militar do DF (PMDF), que esteve na propriedade invadida nesta quinta, há fortes indícios de que o homem seja Lázaro Barbosa. Ele teria chegado por volta das 4h, e a família foi liberada às 15h.

O suspeito fugiu. Helicópteros da polícia sobrevoam o local. De acordo com a PM, o fugitivo está vestido com uma calça preta, um moleton preto com chapéu aba larga (tipo de pescador).

Triplo homicídio

Uma das hipóteses para o triplo homicídio, ocorrido na Fazenda Vidal na madrugada de quarta, é que Lázaro tenha invadido a casa para roubar os pertences da família. No entanto, ao ver que Cleonice Marques, 43, mulher de Vidal, pedia socorro pelo telefone, ele matou pai e filhos e se apressou em deixar o local do crime, levando ela como refém.

Cleonice ainda está desaparecida. Foi solicitado o apoio de helicóptero e cães farejadores para procurá-la. A Divisão de Repressão ao Sequestro (DRS) presta apoio às investigações.

O triplo homicídio chocou o Distrito Federal. Os corpos estavam em um quarto, um deles sobre a cama, e os outros dois no chão. As vítimas foram encontradas com marcas de tiro e facadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Arquivos do Blog